Acessibilidade para pessoas com deficiência física. Tudo que você precisa saber!

Seja o primeiro a comentar! - 6/09/2017

Elevador para deficientes acessibilidade

A Lei da Acessibilidade (Lei nº 10.098/2000) define uma série de adaptações básicas para garantir o acesso de portadores de deficiência aos mais variados espaços.

De forma geral, a legislação estabelece a eliminação de barreiras à circulação de pessoas com deficiência. No texto, o termo se aplica a qualquer obstáculo ao acesso, liberdade de movimento ou circulação da pessoa com deficiência.

Ainda de acordo com a lei, a pessoa com deficiência é aquela que tem capacidade limitada de se relacionar com o meio ou utilizá-lo, de forma permanente ou temporária. Já a deficiência física é definida como a “alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física […]”. (Redação dada pelo Decreto nº 5.296, de 2004).

Algumas medidas devem ser tomadas visando que o acesso de pessoas com deficiência a edifícios, transportes e outros locais, sejam eles públicos ou não, possa ser atendido.

A lei ainda afirma que investirá em programas com o objetivo de facilitar a acessibilidade em sítios de interesse histórico, turístico, cultural e desportivo. Isso aconteceu e ainda vem acontecendo mediante a remoção de obstáculos físicos ou arquitetônicos que impossibilitam ou impeçam a locomoção de pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

No caso de portadores de deficiência física, o elevador para cadeirante é apenas uma das adaptações necessárias para que um local esteja conforme a lei.

Em 2008, o Governo publicou o primeiro relatório sobre o cumprimento da Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. De acordo com o texto, a aplicação dos princípios da convenção tem seguido estratégia que busca sua execução ao longo do tempo.

No curto prazo, tem como um dos objetivos o desenvolvimento de políticas de atenção às pessoas com deficiência, para a execução de uma estratégia nacional de integração das ações governamentais e não governamentais.

Já em médio prazo, busca a consolidação de uma política de educação inclusiva para as pessoas com deficiência; implantar programas de remoção de barreiras que impedem ou dificultam a participação plena das pessoas com deficiência na vida em sociedade. Para isso, são de extrema importância as questões relacionadas à acessibilidade.

As normas de acessibilidade para portadores de deficiência física são definidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Lei da Acessibilidade para empresas

No caso de empresas, o local deve ter algumas adaptações para garantir o acesso tanto de clientes quanto de colaboradores.

Os relógios de ponto devem estar a 80 cm do piso e a mobília deve estar disposta de uma forma que possibilite a circulação de cadeirantes.

O elevador é essencial para a acessibilidade. A porta deve ter no mínimo 80 cm de largura para permitir entrada e saída de cadeirantes. Obstáculos à circulação, como escadas, devem ser solucionados com um elevador para cadeirante ou rampa.

Porém, o elevador não é a única solução que permite o acesso de pessoas com deficiência física a outros patamares. A plataforma de acessibilidade, também conhecida como plataforma elevatória ou plataforma vertical, também se adapta muito bem aos mais diversos ambientes.

Tudo depende de algumas questões técnicas, como, por exemplo, a altura que a plataforma ou o elevador chegará e se o objetivo é apenas transportar pessoas com deficiência física ou também passageiros.

Já os balcões de atendimento em estabelecimentos comerciais também devem ser adaptados. Eles devem permitir a aproximação frontal de pelo menos uma cadeira de rodas, com uma altura livre mínima de 70 cm do chão.

As portas devem ter largura mínima de 80 cm, possibilitando a passagem de usuários de cadeira de rodas, além de maçaneta de formato alavanca. Banheiros devem ter as medidas da ABNT para garantir o acesso para cadeirantes.

Lembre-se que estas normas não se aplicam apenas a edifícios, mas para espaços públicos em geral. Em Curitiba, por exemplo, cada estação tubo conta com um elevador para cadeirante além dos degraus.

Por fim, todas as áreas de circulação devem conter o Símbolo Internacional de Acesso, incluindo elevadores.

Acessibilidade para pessoas com deficiência em casa

Se você vive com uma pessoa portadora de deficiência física, o ideal é investir em algumas medidas para tornar sua casa mais acessível.

Certifique-se de que todas as maçanetas são no formato alavanca e que as dimensões do banheiro são apropriadas para cadeirantes. O box deve ter barras de apoio e um assento.

Por fim, considere investir em um elevador residencial para cadeirante: é uma forma de garantir que ela possa se deslocar de maneira independente e com muito mais comodidade e conforto.

Guia prático para elaborar o projeto do seu elevador